08/11/2010 11:20

O Homem que Copiava

Da Redação
Os Paparazzi
O Homem que Copiava (2003) é a principal obra cinematográfica com direção de Jorge Furtado. O premiado roteirista e diretor do curta-metragem Ilha das Flores (1989), apresenta um filme autêntico e curioso com impecável atuação do protagonista, então desconhecido, Lázaro Ramos. Lázaro Ramos e Jorge Furtado formaram, em O Homem que Copiava, uma parceria duradoura. O Homem que Copiava é considerado o filme que levou Lázaro Ramos às casas do grande público.

Mas vamos ao filme: André (Lázaro Ramos) trabalha em uma papelaria, em Porto Alegre. É um simples "tirador de xérox". Mas se alguém o questiona ele se enche de confiança e afirma: "sou operador de fotocopiadora". A verdade é que está infeliz no emprego. E não consegue impressionar nenhuma garota ao insistir no papo de "operador de fotocopiadora". Mas de tanto tirar xérox, ele acaba lendo muitos textos interessantes, enquanto faz as cópias. E é daí que surge uma ideia: por que não começar a copiar dinheiro?

O Homem que Copiava é um filme que deve ser visto mais de uma vez. Repare nos detalhes que Jorge Furtado coloca durante todo longa-metragem. A narrativa em off de André é rica, repleta de pistas que enriquecem o roteiro. Além do destaque para Lázaro Ramos, o filme tem atuações impecáveis de Leandra Leal, Pedro Cardoso e Luana Piovani.

André se apaixona por Sílvia (Leandra Leal), ganha a amizade de Cardoso (Pedro Cardoso) e é louco para impressionar a colega de trabalho Marinês (Luana Piovani). Com um final surpreendente e nada politicamente correto, O Homem que Copiava é o segundo longa-metragem do diretor e roteirista Jorge Furtado, que estreou com Houve uma Vez Dois Verões. Jorge ainda de destacaria no cinema com Saneamento básico, o filme (2007) e Meu Tio Matou Um Cara (2004) - os dois com participação de Lázaro Ramos.

Fique por dentro das últimas do cinema nacional! É só Curtir OsPaparazzi

Vídeo

Comentários

PÁGINA PRINCIPAL | ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Todo o conteúdo deste website é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal de seus idealizadores.