12/09/2017 09:07

Cantando na Chuva é teatro para toda família

Claudia Raia e Jarbas Homem de Mello protagonizam musical no teatro; veja crítica do espetáculo

Pais, Mães e Filhos
Teatro para crianças
O clássico “Cantando na Chuva” ganhou adaptação no teatro brasileiro. Com estreia no Teatro Santander, em São Paulo, “Cantando na Chuva” é protagonizado por Claudia Raia e Jarbas Homem de Mello. Assisti ao musical e explico abaixo por que “Cantando na Chuva” é um programa para pais, mães e filhos se divertirem juntos, em família. Já adianto que o espetáculo é sensacional! Claudia Raia e Jarbas Homem de Mello estão brilhantes no palco.

Por que assistir Cantando na Chuva

Trata-se de uma mega produção. O orçamento do espetáculo é de R$ 9 milhões, com recursos da Lei Rouanet. Vale lembrar que o musical “Chacrinha – O Musical” custou R$ 12 milhões. E mais: quem é fã de sapateato vai se emocionar. Há brilhantes performances durante o musical. Tudo bem ensaiado e coreografado. O show tem 2 horas e meia de duração.

Cantando na Chuva Claudia Raia e Jarbas teatro Santander
As estrelas do musical no Teatro Santander

Devo levar meu guarda-chuva?

Não precisa. Quem compra ingressos VIP e senta bem pertinho do palco, ganha uma capa de chuva amarela para se proteger da água. E haja água, viu! O espetáculo conta com dois tanques com capacidade de 5 mil litros. Mas vou passar frio? Não. A água é aquecida em 29 graus. Sobra água até para a orquestra. O teatro conta com orquestra com 14 músicos. Eles ficam bem em frente ao palco e saem ensopados do show. E aqui uma observação: a cena da chuva é espetacular. Sério. É mágico! Vale a pena demais! Chove no fim do primeiro ato. E também chove ao final do musical.

Claudia Raia dançando é um show à parte?

Aqui um spoiler importante sobre a peça. Você é apaixonado pela Claudia Raia e e quer vê-la dançando e arrasando no musical? Pois saiba que Jarbas Homem de Mello é o grande protagonista do espetáculo. Portanto temos Jarbas Homem de Mello dançando, cantando na chuva e arrasando. Mas e a Claudia Raia?

Bem, a Claudia interpreta uma personagem que se dá mal com o fim do cinema mudo. Ou seja, a personagem não sabe cantar e nem falar direito. Mas acalme-se: foi adicionada ao roteiro uma cena extra, com Claudia Raia como protagonista de uma música, justamente para agradar os fãs que querem ver a gigante roubando a cena no palco.

Levando a família

Cantando na Chuva chovendo no palco Claudia Raia e Jarbas teatro Santander
Cena com chuva no palco do Teatro Santander

Tinha uma bebê de colo bem atrás da minha poltrona no show. O teatro é bem organizado. Portanto não tem dor de cabeça para os pequenos. E a história também é linda. Não tem aquelas cenas de medo, por exemplo, que poderiam assustar as crianças. É bem fácil de entender. E também não é aquele musical que só tem gente cantando e músicas atrás de músicas, sabe? Não. É texto intercalado com músicas. As crianças adoram do começo ao fim. O único problema é o tempo de duração: 2 horas e meia. Então algumas crianças mais impacientes podem reclamar.

Mais sobre Cantando na Chuva

Um dos filmes mais celebrados da história do cinema norte-americano ganha os palcos de São Paulo. No ano em que completa os 65 anos de sua estreia nas telonas, chega ao Brasil o musical “Cantando na Chuva”. Os icônicos papeis interpretados por Gene Kelly e Jean Hagen agora ganham vida através de Jarbas Homem de Mello e Claudia Raia.

A clássica história se passa nos idos de 1920 em plena Hollywood. Os atores Don Lockwood (Jarbas Homem de Mello) e Lina Lamont (Claudia Raia) são as estrelas da época, o casal preferido da indústria cinematográfica. Sucesso entre o público, os dois são os queridinhos da mídia, que apostam num relacionamento mais íntimo entres eles, algo que jamais existiu.

O sucesso do casal 20, entretanto, é abalado com a transição do cinema mudo para o falado, que logo se torna a sensação do mercado. Dispostos a não perderem o que conquistaram, Don e Lina se veem obrigados a produzirem um filme para atender às expectativas da época. Juntos, eles precisam superar as dificuldades que essa “nova interpretação” representa para os dois, e assim se manterem no topo. Nesse processo, entram duas figuras importantes para o sucesso da investida do casal: Kathy Selden e Cosmo Brown. Originalmente interpretados por Debbie Reynolds e Donald O´Connor, no musical brasileiro Bruna Guerin e Reiner Tenente dão vida aos personagens.

“A cena da chuva é a mais clássica de todos os tempos dos filmes musicais. E não poderia ser diferente no nosso espetáculo”, afirma Jarbas, que frisa a importância de “Cantando na Chuva” em sua formação: “É um sonho de infância, porque o Gene Kelly sempre foi o herói das minhas Sessões da Tarde, quando eu era criança. Fazer esse musical é maravilhoso. E faremos tudo o que a gente sabe: cantar, dançar e sapatear, debaixo da chuva (risos)”.

Comentários

PÁGINA PRINCIPAL | ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Todo o conteúdo deste website é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal de seus idealizadores.