01/07/2019 10:22

Crise abre portas para escolas internacionais

Escolas internacionais ganham espaço em cidades como São José dos Campos

Da Redação
Os Paparazzi
O momento de crise que atravessamos no Brasil é uma das apostas das escolas internacionais. Isso porque os pais se interessam cada vez mais pela ideia de que os filhos possam se tornar cidadãos do mundo e procurar carreiras fora do país. Um exemplo é a rede de colégios canadense Maple Bear. O Grupo SEB é quem está à frente do Maple Bear desde 2017, com o empresária Chaim Zaher. Há 140 unidades do colégio canadense pelo Brasil. Uma delas está em São José dos Campos, no bairro Urbanova.

"No Norte e Nordeste nossas unidades vão muito bem e acabam se consolidando como a escola internacional do Estado. Também estamos muito bem no interior de São Paulo. Da nossa fase de implementação, 90% das escolas estão localizadas no interior do Brasil", declarou Arno Krug, CEO da Maple Bear, em entrevista ao jornal Estado de SP.

Colégio bilíngue Maple Bear Canadá São José dos Campos
Colégio canadense Maple Bear em São José dos Campos

Na escola Maple Bear, as crianças de até 5 anos só têm aulas de inglês. Somente no primeiro ano do fundamental é que as crianças passam a ter aulas de Português. "O que mais gosto é a metodologia canadense, que ensina autonomia para as crianças desde pequenas", declarou a médica Renata Mauro, também em entrevista ao Estado. "Não sei se no Brasil haverá empregos para o meu filho no futuro. Então uma alternativa realmente é prepará-lo para o mundo. Estudando em uma escola internacional, que é bilíngue, por exemplo, você deixa a criança pronta para essa mudança", comentou o engenheiro Mauro Augusto, de São José dos Campos.

Silvia Colello, educadora da USP, deixa um alerta para os pais: "Estruturas prontas tendem a funcionar de modo pasteurizado", alertou a especialista.

Novidade da educação chega ao Brasil: Programa LID


Garantir que os alunos desenvolvam paixão por aprender, enquanto se tornam experts em um assunto - um caminho que já deu certo para alunos de diversos países, agora chega ao Brasil.

Quando ainda são bebês, as crianças têm uma curiosidade natural. Estão sempre prontas a explorar o mundo ao seu redor, absorvendo novas informações e habilidades como se fossem esponjas. Porém, em algum ponto ao longo do processo de crescimento, essa paixão natural por aprender acaba se perdendo. Muitas crianças passam a não gostar da escola e vão, aos poucos, criando certa aversão pelo processo formal de aprendizagem.

A boa notícia é que a paixão por aprender pode ser desenvolvida e cultivada, em qualquer fase da vida, especialmente durante a infância e pré adolescência. O SOS Educação, em parceria exclusiva com a Simon Frasier University-Canadá, traz para o Brasil um programa cujo foco está em ajudar os alunos no desenvolvimento do amor pelo aprendizado e do desejo de se aprofundar no conhecimento. Além do desenvolvimento de novas estratégias para aprendizagem, os alunos vão interagir com crianças da mesma idade que estudam em países que estão entre os melhores no desempenho escolar. Enquanto trabalham a aprendizagem em profundidade, vão desenvolver habilidades que trarão uma perspectiva totalmente inovadora sobre o processo de aprendizagem ao longo da vida.

Enquanto se tornam os maiores Experts em assuntos que serão foco de pesquisa ao longo da vida escolar, os alunos desenvolvem habilidades que serão essenciais para o sucesso pessoal e profissional no futuro que os aguarda. Estudos mostram que habilidades como resolução de problemas complexos, flexibilidade cognitiva, análise e tomada de decisões, leitura inteligente, registro de informações e aprender a aprender estão entre as principais características que um jovem precisará levar consigo para a vida adulta. Envolver alunos desde o final da Educação Infantil em um programa que desperte o pesquisador que existe dentro de cada um de nós, enquanto constrói seu arsenal de recursos para lidar com os grandes desafios que a vida moderna coloca é um dos objetivos, já bem sucedido em diversos países, que o programa Learning in Depth – LID traz.

O programa já vem sendo implementado com grande sucesso em países como Canadá, Estados Unidos, Austrália, Japão, Nova Zelândia, Inglaterra, entre outros.

O que diz o Dr. Kieran Egan, diretor do departamento de Educação da Simon Frasier University, em Vancouver, criador do programa LID, você pode encontrar no lidbrasil.com

O programa LID traz para alunos, pais e professores uma nova perspectiva do processo de aprendizagem, com benefícios que se estenderão pelo resto da vida! Programa aplicado em diversos países, todos no topo do desempenho na educação mundial e agora chega ao Brasil pelo SOS Educação.

Taís e Roberta Bento são Fundadoras do SOSEducação, site de educação do portal Estadão e responsáveis pela coluna Escola da Revista Pais&Filhos. São palestrantes de grandes eventos de educação e parentalidade como Bett Educar, Seminário da Pais&Filhos e Social Media Week. Participam como especialistas de diversos programas como “Como Será” da Rede Globo e “A Hora do Enem” do Canal Futura. São também autoras do livro “Socorro, meu filho não estuda!

Roberta Bento

Graduada em Letras, com especialização em formação de professores de Línguas (International House, Inglaterra) e com pós-graduação em Marketing e em Gestão de Pessoas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Especialização em Aprendizagem Baseada no Funcionamento do Cérebro pela Universidade da Califórnia e Duke University, e em Aprendizagem Cooperativa pela Universidade de Minnesota e Universidade de San Diego (Estados Unidos).

Taís Bento

Graduada em Pedagogia pela Universidade de São Paulo (USP) e pós graduada em Marketing pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP). Especialização em Aprendizagem Baseada no Funcionamento do Cérebro e Aprendizagem Cooperativa pela Universidade de Minnesota e pela Universidade de San Diego.

Acesse a página Pais e Filhos com informações para papais e mamães.

Comentários

PÁGINA PRINCIPAL | ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Todo o conteúdo deste website é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal de seus idealizadores.