11/07/2019 12:08

Recreação para crianças em hotel: vale a pena?

Mostramos qual seria o modelo ideal de recreação infantil para hotéis que recebem pais e filhos

por Aline Oliveira
Pais e Filhos
Hotel com recreação infantil. Vale a pena? Sem dúvida nenhuma minha resposta é sim. Mas a seguir mostro qual seria o modelo ideal na minha opinião em recreação para crianças em hotel. As dicas valem para pais e mães que estão em busca de um hotel para viajar com os filhos. E também para os próprios donos de hotéis refletirem sobre como está a sua recreação infantil neste momento. Vamos lá!

Recreadores, carinho é fundamental


Começamos falando sobre os recreadores, os monitores, também chamados de tios e tias. Pois bem. Esse pessoal tem uma responsabilidade gigante nas costas. Não é nada fácil, não. Em períodos de alta temporada, geralmente os recreadores se hospedam nos hotéis e ficam longe de suas famílias durante um tempão. Em resumo, eles deixam seus filhos para cuidarem dos nossos filhos. Tenho um carinho muito especial por esse pessoal. A maioria dos recreadores que encontrei até hoje é de bons profissionais. Mas, infelizmente, há exceções. Portanto, deixamos o recado: carinho é fundamental. Nossos filhos não são números. Não basta colocar coletes ou pulseiras nas nossas crianças. É importante que o monitor a chame pelo nome.

Já fui em hotéis em que meus filhos não se sentiram acolhidos para a programação de brincadeiras. Acabaram ficando comigo mesmo e pouquíssimo tempo na recreação infantil. Mas quando o recreador o chama pelo nome e dá carinho, aí a criança cria um laço com esse profissional e a confiança está conquistada. Mas, claro, há casos em que os pais passam dos limites da exigência e aí pegam no pé dos recreadores desnecessariamente (falei sobre isso aqui).

Recreação infantil recreação para crianças Atibaia Residence 4 Cavaleiros
Recreação infantil vale a pena

Dividir as crianças por idade


Quanto maior for a equipe de recreadores, melhor. Claro! E quanto mais divisões forem feitas na faixa etária das crianças, também acho melhor. Uma divisão interessante, por exemplo, é a seguinte: Bebês de 0 a 2 anos de idade ficam com monitores do berçário; crianças de 3 a 6 anos de idade ficam com outro grupo de monitores; e crianças de 7 a 12 anos com outro grupo; além de adolescentes de 13 a 16 com outro.

Se não houver divisão, pode haver inclusive mais bullying. Porque aí uma criança maior vai achar sem graça a brincadeira da criança menor e por aí vai. Então a divisão é a melhor escolha.

Criatividade e bom senso


Criatividade para interagir com as crianças numa programação extensa é importante. Não adianta brincar de pega-pega de manhã e depois à tarde voltar com o pega-pega. Essa criançada não é boba, não. Logo vão perder o interesse e a magia pela recreação infantil. O que me surpreende são aquelas equipes que criam a todo momento, inventam brincadeiras malucas, atividades interessantes para o desenvolvimento das crianças. É um grande diferencial. Bom senso é importante para adaptar algumas atividades. Se as crianças, por exemplo, não mostraram interesse pela oficina de culinária, pode ser interessante alterar aquela programação de cup cake que estava agendada para o dia seguinte.

Bons exemplos


As crianças são esponjas que observam todos os comportamentos dos adultos. Portanto, o recreador precisa dar o bom exemplo. "Mamãe, o tio pegou o copo de água e jogou no chão. Expliquei pra ele que é preciso jogar no lixo". Eu já presenciei uma cena dessa em um hotel em que estava hospedada com minha família. Já imaginou o tamanho da cara de vergonha do monitor? É preciso tomar cuidado com todos os detalhes.

Frutos da viagem


Como é bom voltar de viagem com lições. Nossos filhos ganham um enriquecimento cultural considerável a cada viagem que fazemos. Portanto, não tem preço quando a recreação infantil deixa frutos para as nossas crianças. "O tio me ensinou a fazer pizza; meu filho perdeu o medo de escalada; meu filho é tímido e se apresentou no teatro com os monitores no palco; minha filha não sabia dançar e decorou a coreografia do Baby Shark que vocês ensinaram". São todos exemplos de frutos que podem ficar para sempre após uma viagem para um hotel com recreação infantil.

Recreação para crianças em hotel vale a pena, sim!


Minha conclusão, como adiantei no primeiro parágrafo, é que recreação infantil vale a pena, sim. As crianças adoram, os adultos conseguem relaxar, é uma maravilha. Mas deixo aqui alguns puxões de orelha com pontos importantes que as equipes de hotéis devem se atentar. Também faço questão de deixar um elogio particular para a equipe "4 Cavaleiros Recreação Infantil", do hotel Atibaia Residence. Eles são sensacionais! Todos muito carinhosos e atenciosos. Posso citar 2 exemplos positivos da nossa viagem com essa equipe. 1 - Meu marido acompanhou minha filha ao banheiro. Mas o meu filho menor começou a chorar e ele precisou deixá-la sozinha. Uma das monitoras viu a cena de longe e correu para ajudar. Minha filha saiu sorridente do banheiro, com o sorrisão no rosto pelas brincadeiras da monitora. 2 - Um monitor muito talentoso ensinou uma coreografia para a minha filha. A música não sai da cabeça dela até hoje. E cada passo da dança ela relembra detalhes da coreografia ensinada pelo monitor. Esses pequenos detalhes fazem toda a diferença.

Aline Oliveira professora educadora
Acesse a página Pais e Filhos com informações para papais e mamães.

Envie dúvidas, críticas e sugestões de pauta.

Entre em contato com a nossa redação:

jornalismo@ospaparazzi.com.br

Convide a Aline para o seu evento.

Comentários

PÁGINA PRINCIPAL | ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Todo o conteúdo deste website é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal de seus idealizadores.