04/04/2012 13:11

Doenças de gatos: Conheças as principais e como evitá-las

Doenças de gatos: Conheças as principais e como evitá-las

Da Redação
OsPaparazzi
Doenças nos gatos é sempre uma grande preocupação dos donos. Quem não fica preocupado quando seu gato está doente? Não é? Os gatos apesar de serem sensíveis, muitas vezes não demonstram qualquer tipo de desconforto. É preciso conhece-lo bem para então detectar algo de diferente, sendo que muitos deles se mostram fortes, e acabamos por descobrir a doença quando já não há mais tempo de recorrer à algum tratamento. Algumas doenças de gatos são silenciosas, portanto temos que vacinar corretamente e sempre observar se existe algo de estranho. Fique atento as doenças e que podem afetar seu gato:

Doenças de gatos
Apatia, perda ou ganho de peso acentuados e dificuldade para respirar e comer devem sem investigados

Vírus da Imunodeficiência Felina (FIV): O FIV é um vírus que diminui drasticamente a imunidade, favorecendo o aparecimento de infecções e outras doenças. É transmitido por um gato infectado através de mordeduras frequentes durante "lutas" entre gatos. Não existe cura, mas com uma alimentação saudável e equilibrada, complementada com suplementos vitamínicos e vacinas sempre em dia, o gato poderá ter uma sobrevida bastante longa. Lembre-se: gatos infectados devem ser mantidos dentro de casa para que não infectem outros gatos.

Síndrome Urológico Felino (SUF): Esta síndrome engloba um conjunto de problemas inflamatórios no sistema urinário dos gatos, nomeadamente a cistite (inflamação da bexiga), a infecção (o sangue, o muco e outros produtos associados à zona inflamada proporcionam a multiplicação de bactérias); urolitíase/bloqueio uretral (a cristalização de minerais e a irritação da bexiga e da uretra provocam a formação de cálculos que podem entupir ou dificultar a saída de urina); uremia (acumulação de detritos intoxicantes no sangue, o que é muito perigoso, a inabilidade de urinar significa a acumulação de urina na bexiga e a incapacidade dos rins eliminarem os resíduos). Facilmente tratada pela administração de medicamentos adequados e receitados pelo médico veterinário.

Vírus da Leucose Felina (FeLV): Assim como o FIV, também o FeLV é imunodepressivo, ou seja, elimina de forma gradual a capacidade do organismo felino de se defender contra as doenças ou infecções mais banais. Este vírus, que só pode ser transmitido entre gatos, transmite-se pela saliva, lágrimas, urina, fezes ou através do leite, na fase da amamentação. Também sem cura. Em média, um portador deste vírus vive cerca de dois anos, mas existem estudos que apontam para uma taxa de sobrevivência de três anos e meio para cerca de 83% dos felinos. Entretanto, existe uma vacina contra o FeLV que todo gato deve tomar. Informe-se com seu veterinário de confiança.

Peritonite Infecciosa Felina (PIF): É um vírus que contamina o abdômen, o fígado, os rins, o cérebro e o sistema nervoso, criando nessas zonas abscessos e infecções. A transmissão pode ocorrer de duas formas: através do contato do gato saudável com as fezes de um felino contaminado ou através da amamentação, em que a gata infectada as crias. Infelizmente, esta é uma doença que ainda não tem cura.

Diabetes: A diabetes é uma doença causada pelo aumento da quantidade de glicose sanguínea, ou seja, de açúcar no sangue. No entanto, é melhor definida como a incapacidade do pâncreas de produzir insulina, o hormônio que regula os níveis de sangue no açúcar. À medida que a glicose se vai acumulando e na falta da insulina, o organismo tenta eliminá-la das mais variadas formas e aí surgem os diferentes sintomas. Para alem da predisposição genética, a diabetes ataca principalmente os gatos obesos. Quanto mais cedo for detectada a doença, mais depressa se começa a tratá-la e controlá-la convenientemente.

Raiva: A raiva é uma doença contagiosa, transmitida por um vírus que pode afetar os animais e o homem. A transmissão se dá através do contato com a saliva de um animal doente. Os principais sinais clínicos são: mudança de comportamento, agressividade, salivação e paralisia. A raiva é uma doença incurável. A vacina é a única maneira de prevenir a doença. Atualmente, a doença Raiva, é desconhecida na Grã-Bretanha em razão das estritas leis de quarentena que têm controlado a entrada de gatos, sendo todos eles vacinadas ao deixar a quarentena. O Havaí é o único Estado americano com regulamentos semelhantes. Em qualquer outra parte, todos os gatos deveriam ser submetidos a vacinações anti-rábica no terceiro mês de vida e a revacinações anuais.

Como funciona a quarentena: Para restringir a disseminação da raiva e outras doenças perigosas, o Havaí e países como a Inglaterra, a Austrália e o Eire, insistem e que todos os animais domésticos que possam carreá-las sejam obrigados a passar seis meses em quarentena, a partir da chegada ao país. Isso pode causar um grande transtorno, tanto ao gato como a seus proprietários. Se você está de mudança permanente para aqueles países, pode ser um transtorno apenas temporário. Mas, se você está apenas visitando, é melhor deixar o gato em quarentena e reavê-lo logo em seguida, em vez de ter que deixá-lo por uma estada mais longa num hotel. Outros Estados dos Estados Unidos exigem os certificados de saúde para todos os gatos estrangeiros.

Mantenha seu gato o mais saudável possível em todos os aspectos, alimentação, higiene, saúde, são cuidados básicos para seu gato ter uma vida feliz e, futuramente não venha apresentar nenhuma doença ou complicação que poderia ser evitada. Poupe seu gato de sofrimento, eles merecem toda à atenção e carinho!

Comentários

PÁGINA PRINCIPAL | ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Todo o conteúdo deste website é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal de seus idealizadores.