27/02/2012 21:22

Pequinês é um cachorro pequeno e muito ciumento

Pequinês é um cachorro pequeno e muito ciumento

Da Redação
Os Paparazzi
O Pequinês possui temperamento equilibrado, costumam ser corajosos e sensíveis. O Pequinês é muito afetuoso com o dono e desconfiado com estranhos. Possuem aparência leonina, com expressão alerta e inteligente. Também apresentam ser teimosos e ciumentos. O pequinês geralmente é cão de um único dono. Ele decide de quem gosta mais e pode lhe surpreender.

Eles até aceitam outras pessoas na sua vida, mas você deve estar pronto a lhe dar menos atenção se ele começar, por exemplo, a encarar uma criança como rival. A maioria dos pequineses saudáveis e bem treinados lidam muito bem com crianças, mas infelizmente pelo fato de estarem entre as raças consideradas "fofas e bonitinhas", muitas pessoas não os treinam adequadamente e terminam com problemas difíceis envolvendo ciúmes.

A aparência do Pequinês é compacta, bem balanceada, com grande dignidade e nobreza, são cães pequenos. Algumas características do padrão oficial da raça Pequinês são, cabeça larga, trufa curta e larga, focinho largo e cheio de rugas com mandíbula firme. Qualquer sinal de dificuldade respiratória sob condições normais é inaceitável e deve ser severamente penalizado.

Os olhos são grandes, límpidos, redondos e brilhantes. As orelhas são em forma de coração, inseridas ao nível do crânio e portadas próximas da cabeça, com longas e volumosas franjas. As orelhas não devem atingir a linha abaixo do focinho. O pescoço é bem curto e grosso. O tronco é curto, mais pesado na frente que atrás, com uma cintura evidente. A cauda é inserida alta, ligeiramente curvada sobre o dorso de qualquer lado com longas franjas.

Raça de cachorro Pequinês
A raça de cachorro Pequinês é nobre e possuem um comportamento adorável

A pelagem do Pequinês é longa, pêlos retos com juba volumosa estendida atrás dos ombros formando uma capa ao redor do pescoço, a pelagem de cobertura é rústica com subpêlo espesso e mais macio. Franjas abundantes nas orelhas, na parte posterior dos membros, cauda e dedos. O comprimento e o volume das franjas não devem interferir no contorno do corpo.

Todas as cores e marcas da pelagem do Pequinês são permitidas e de igual valor, exceto albino ou fígado, o Pequinês marrom é bastante comum. Nos particolor as manchas devem ser uniformemente distribuídas. O peso ideal de um Pequinês não deve ultrapassar 5 quilos para os machos e 5,4 quilos para as fêmeas. O tamanho do Pequinês macho deve ser menor do que a fêmea e quando levantados devem sentir os ossos pesados e uma boa estrutura robusta, essas são as características essenciais para a raça.

Os problemas mais comuns que o Pequinês pode apresentar estão relacionados com olhos, o sistema respiratório e alergias. O Pequinês é ideal para apartamento e nunca devem ser mantidos fora de casa, pois tem dificuldade em regular a temperatura corporal quando o tempo está demasiadamente quente ou frio. Deve-se tomar cuidado ao erguê-los, para proporcionar suporte adequado para as costas: coloca-se uma mão sob o peito e outra sob o abdômen. Por causa das pernas curtas, alguns pequineses têm problemas com escadas, cães idosos podem não ser mais capazes de subir ou descer escadas sozinhos.

Alguns cuidados com a raça de cachorro Pequinês são fundamentais, manter a pelagem saudável e apresentável exige que ela seja escovada pelo menos uma vez por dia (embora criadores admitam que isso possa ser feito apenas três vezes por semana, a escovação diária lhe permitirá levar seu cão ao tosador apenas de 3 em 3 meses). Todavia, se o animal se sujar e a sujeira secar no pêlo, será necessário levá-lo ao tosador, posto que é difícil para um leigo fazer a limpeza sem machucar o cão. A raça Pequinês precisa de alimentação a base de ração canina, o que contribui para uma pelagem de qualidade e evita que soltem muito pêlo.

O Pequinês foi introduzido no Brasil na década de 1960 e no fim da década de 1970 a grande procura estimulou os criadores, um filhote de Pequinês pode custar em média R$ 1.500 e é muito importante que o futuro dono conheça o canil antes de comprar um Pequinês. Alem disso, é importante conhecer o temperamento do cachorro antes de adquiri-lo e certifique-se se o criador é confiável e que o Pequinês possua pedigree. Uma curiosidade sobre a raça é que apenas dois cães sobreviveram ao naufrágio do navio Titanic, um deles era um pequinês!

A China é o país de origem do Pequinês. E existem duas fábulas sobre sua origem: A primeira é a mais comum, O Leão e a Sagui: Um leão e uma sagüi se apaixonaram. Mas o leão era grande demais para a macaquinha. O leão foi até Buda e lhe contou sua desventura. Buda permitiu que o leão encolhesse até o tamanho da sagui. E o pequinês foi o resultado dessa história. A segunda fábula, menos comum, é a dos Leões-Borboleta: Um leão apaixonou-se por uma borboleta. Mas a borboleta e o leão sabiam que a diferença de tamanho era demasiada para ser vencida. Juntos, foram até Buda, que permitiu que o tamanho de ambos se encontrasse na média. E daí veio o pequinês.

Visto acreditar-se que o pequinês havia sido originado do Buda, ele era um cão de templo. Como tal, não era um mero brinquedo. Acreditava-se que, ele havia sido feito pequeno assim para que pudesse perseguir e destruir os pequenos demônios que podiam infestar o palácio ou templo, mas seu coração era tão grande que ele poderia destruir mesmo o maior e mais feroz.

Fatos comprovam que o ápice do Pequinês como queridinho dos palácios imperiais chineses ocorreu durante o reinado da Última Imperatriz (Tzu Hsi), que ascendeu ao poder em 1861. Para obter prestígio, ela se fez cercar dos "cães-leões", insistindo para que sua semelhança com o leão fosse tão próxima quanto possível. Após sua morte em 1908, os serviçais da corte mataram a maior parte dos animais para que eles não caíssem em mãos indignas. Os poucos que escaparam desapareceram em residências particulares sem deixar vestígios, não fosse a raça estar firmemente estabelecida no Ocidente, teria muito provavelmente sido extinta nesta ocasião.

Há quem acredite que os ancestrais da raça Pequinês saíram do Egito rumo ao Tibet pelas mãos mercantes e deste, para a China, já que na época estes países mantinham relações comerciais, as histórias sobre a origem da raça são muitas, porem em 1902 foi criado o Clube do Pequinês e em 1919 foi feito o primeiro registro da raça pelo Kennel Clube da Inglaterra. Em 1909 foi criado o Clube do Pequinês da América, nos EUA, e em 1911, organizado a primeira exposição especializada com 95 exemplares inscritos.

Curta Bicho Animal e receba noticias de cães e outros bichinhos

Fotos de Pequinês

Comentários

PÁGINA PRINCIPAL | ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Todo o conteúdo deste website é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal de seus idealizadores.