13/02/2013 18:31

Confira as características da raça de gato Siamês

O Siamês é uma raça de gato apegado ao dono e muito carinhoso

Da Redação
OsPaparazzi
Os primeiros siameses eram bem diferentes dos animais que conhecemos atualmente. O contraste entre as extremidades coloridas (as pontas ou points) e o corpo claro era menor, o azul dos olhos era menos intenso, a morfologia era mais mediana e lembrava a do gato European Shorthair, e a cabeça também era mais arredondada.

Houve algumas anomalias na raça, uma proporção elevada apresentava estrabismo e a cauda com nós, isto é, com vértebras deformadas e grudadas. A frequência dessas anomalias era tanta que os primeiros padrões oficiais as aceitavam. A mudança de critérios ocorreu nos anos 1930 e, hoje o estrabismo e a calda com nós podem causar desqualificação em concursos. Atualmente, o Siamês "ideal", ou de versão oficial, é um gato esbelto sem ser magro demais, com contornos elegantes, afinados e de tamanho médio, com corpo flexível e musculoso.

Por sua morfologia, o Siamês é o modelo perfeito do tipo oriental, pois exibe uma estrutura longilínea, o corpo longo, esbelto, com a largura dos ombros equivalente à dos quadris. Porem, ter uma estrutura longilínea não significa ser esquelético, o Siamês deve ostentar um porte médio e músculos vigorosos. A cor dos olhos e a pelagem são as principais características da raça siamesa.

A pelagem é curta, fina e cerrada. Os pelos são pigmentados apenas nas extremidades do corpo: face (máscara), orelhas, patas e cauda, e deve existir um contraste bem nítido entre a cor das extremidades e o restante do corpo. Os anglo-saxões chamam essas extremidades de points, ou pontas, termo utilizado por criadores de todo o mundo.

Raça de gato Siamês
Siamês é uma raça de gato muito adorável e tranquilos

Não existem grandes diferenças entre o padrão oficial norte americano e o europeu em relação às variedades de Siamês reconhecidas. São quatro tipos básicos: Seal (foca), chocolate point (chocolate), blue point (azul) e lilás point (lilás). Os siameses de outras variedades são conhecidos como colourpoint shorthair (coloridos de pelo curto). Na Europa, todos são conhecidos como siameses e as variações são inúmeras: smoke point (esfumaçado), cinnamon point (canela), fawn point (castanho claro) etc.

Seal point: é a variedade mais antiga e difundida. Os points (pontas) são de um marrom escuro parecido com o das focas, daí o nome Seal (foca, em inglês). O dorso é marrom claro e o restante do corpo, creme. A ponta do nariz e as almofadas das patas são da mesma cor das pontas.

Chocolate point: nos anos de 1950, os selecionadores suavizaram o marrom, e a variedade chocolate point foi reconhecida. As extremidades são cor de chocolate ao leite com uma nuance marfim no restante do corpo.

Azul point: essa variedade, diluição genética do Seal point, foi reconhecida em 1932. Acredita-se que o gene de diluição provenha do korat, raça contemporânea de gatos azuis do Sião.

Lilás point: diluição genética do chocolate, o lilás foi reconhecido em 1955 sob o nome de frost point, que exprime a cor branco cristal da pelagem dessa raça. As pontas são cinza rosadas, o nariz e as almofadas das patas lilás claro.

A originalidade do Siamês é sua personalidade. Muito vivaz, ele é exagerado em suas reações. É extremamente ligado ao dono, muito possessivo e apresenta um comportamento meio de gato, meio de cachorro. O Siamês se adapta muito bem às viagens e mudanças de casa. Por outro lado, fica desconfiado diante de estranhos e geralmente se apavora em caso de perigo ou dor.

Sua voz também é peculiar e tem um miado bem alto. Os filhotes siameses nascem completamente brancos. A pigmentação das extremidades aparece progressivamente durante o primeiro mês: máscara e orelhas a partir do quinto dia, em seguida patas e cauda. Os Siameses podem viver em média 18 anos e custam em torno de R$ 1mil a R$ 3 mil.

A origem da raça Siamês chega a ser misteriosa e o momento em que se produziu a mutação responsável pela sua pelagem tão característica. Contudo, sabe-se que o Siamês era conhecido há muito tempo no antigo reino de Sião, hoje Tailândia. Existem representações muito parecidas com Siamês que conhecemos em manuscritos vindos de Ayuthaya, capital de Sião entre 1347 e 1767.

A designação "siamês" deve-se à origem geográfica da raça. A controversa entrada do Siamês na história da criação dos felinos remonta ao final do século XIX. Conta-se que dois animais, cuja origem permanece desconhecida, foram apresentados em 1871 na primeira exposição felina do Palácio de Cristal, em Londres. Mais precisas são as informações sobre a introdução de dois casais de siameses. O primeiro casal, Pho e Mia, foram levados do Sião para a Inglaterra por Owen Gould, em 1884. O segundo foi levado para a França no ano seguinte por Auguste Pavie.

Não há certeza sobre as condições de aquisição desses gatos. Alguns dizem que foram presentes do rei do Sião aos diplomatas estrangeiros, outros que a obtenção foi ilegal, visto que a exposição de siameses, propriedade exclusiva da corte real, era punida a pena de morte, os gatos eram frágeis, e Auguste Pavie confirmou os seus ao Jardim das Plantas de Paris. Apesar de todo o cuidado, os primeiros exemplares siameses não sobreviveram por muito tempo no Ocidente.

Felizmente, a raça fez adeptos. As importações do Sião foram retomadas pela Europa e os Estados Unidos, onde os primeiros siameses foram introduzidos em 1890. Em 1892, um primeiro padrão foi estabelecido pela Associação Felina Britânica e somente a partir de 1920 o Siamês se tornou popular em todo o mundo. Em 1955, a raça é ainda mais divulgada, quando a Disney apresenta um casal de siameses no desenho A Dama e o Vagabundo.

Curta Bicho Animal e receba noticias de gatos e outros bichinhos

Fotos de Siamês

Comentários

PÁGINA PRINCIPAL | ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Todo o conteúdo deste website é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal de seus idealizadores.