CelebridadesColuna SocialFilmesPais e FilhosBicho Animal
Reprodução/ YouTube

Conheça Plinio Scambora, criador de série sobre 2022

Websérie 22, com Mascarenhas e Dfideliz, mostra futuro pós apocalíptico; ouça entrevista do diretor e roteirista ao Paparazzi

Silas Pereira, publicado em 21/07/2020 e atualizado este mês.
Plinio Scambora escreve desde os 8 anos de idade. Começou com os quadrinhos, passou para a música e depois com os filmes. Durante a quarentena, em julho de 2020, lançou uma série para o YouTube que retrata um futuro pós apocalíptico, em São Paulo. A série se passa em 2022 e se chama '22', com Dfideliz e Mascarenhas como protagonistas. Como seria São Paulo, em 2022, com o Brasil sendo derrotado para a pandemia? Em entrevista ao Paparazzi, Plinio Scambora fala sobre a série e sobre outros trabalhos como roteirista e diretor de filmes. Ele dirigiu o filme Amiga do Inimigo, da youtuber Viih Tube. Ouça a entrevista no áudio abaixo e acompanhe os principais trechos deste bate-papo.

Série 22no YouTube


Uma frase do filósofo Leandro Karnal, que é utilizada no primeiro episódio da série '22', diz assim:

'A tendência histórica é que após o isolamento social toda epidemia passe. Até porque se não passar não será um problema. Nós teremos desaparecido', disse o filósofo, em trecho de introdução do episódio O Pior Cenário Possível.


Dfideliz e Mascarenhas estão na série que mistura comédia e ficção para refletir sobre o mundo pós pandemia. A série se passa em 2022. Conta a história de Eric (Dfideliz), que ficou durante dois anos em coma no hospital do estádio Pacaembu. Ele acaba se encontrando com Malcolm (Mascarenhas). E descobre que o mundo ficou completamente diferente entre 2020 e 20222. Ruas vazias, pessoas usando máscaras, o perigo da contaminação.


Toda quinta-feira, no YouTube, tem novo episódio da série. O primeiro episódio se chama O Pior Cenário Possível. Assista no vídeo abaixo.

Quem é Plinio Scambora

Biografia de Plinio ScamboraFoto: Divulgação

Natural de São Paulo, o diretor Plinio Scambora nasceu no dia 6 de junho de 1986 (06/06/1986). Ele criou em 2010 a Pier 66 Films. Apaixonado por contar histórias, Plinio escreve desde os 8 anos de idade - ou seria desde os 6? ;) Já teve uma banda de rock. E começou a carreira como diretor de filmes com videoclipes. O primeiro videoclipe já foi parar na MTV. Tem trabalhos com João Bosco & Vinicius, Adriana Arydes, Ratos de Porão e Dr Sin. São mais de 200 videoclipes no currículo.
Plinio Scambora em entrevista no YouTubeFoto: Reprodução/ YouTube

Desde 2017 vem trabalhando com filmes, principalmente em parcerias com youtubers. Dirigiu o primeiro filme de Viih Tube, Amiga do Inimigo. Também é o diretor do filme Flops, do youtuber Lucas Rangel, com roteiro de Bruno Alcântara. Além de trabalhos como Em Prova e Sem Sinal.

Um dos diferenciais dos trabalhos de Scambora está na mágica de fazer filmes em tempo recorde, com elenco reduzido e orçamento mais simples. Essa matemática para criar filmes com a Pier 66 Films ele explica na entrevista a seguir.

Entrevista com Plinio Scambora



Ouça a entrevista na íntegra. Ou acompanhe os principais trechos a seguir:

Dificuldade para colocar em prática a série 22 no YouTube.

Plinio Scambora - Colocar a série em prática foi muito difícil. Reduzimos uma equipe que já era enxuta. Rodamos toda a série com apenas seis pessoas. O que é muito pouco. Não selecionamos figurantes. Escrevi a série pensando nisso. Então foi realmente bem difícil. Tivemos que criar um protocolo diferente para colocarmos em prática.

Roteiro de ficção ou realidade sobre São Paulo em 2022?

Plinio Scambora - Roteiro de maior ficção que já escrevi. Quando tentei criar esse futuro pós apocalíptico, foi tentando imaginar algo que acho que não vai acontecer. Mas que, poxa, nunca conseguimos imaginar isso no Brasil. Sempre assistimos filmes de ficção científica lá fora. Nova Yorkdestruída, vírus em Tóquio. E por que não no Brasil? Vi as ruas vazias e falei: é isso que quero fazer. Infelizmente muitas coisas que escrevi no roteiro acabaram aparecendo na realidade. Tem uma piada no meio de um episódio que fala sobre um velório que teve uma Live no Zoom. Escrevi isso achando graça. E brincando. Mas passaram três ou quatro semanas e isso aconteceu de verdade. É pesado.

Otimismo sobre esse momento de pandemia.
Os filmes de Plinio ScamboraFoto: Divulgação

Plinio Scambora - A minha visão pessoal sobre a pandemia é, sim, mais otimista. Não por causa do que temos feito como sociedade. Mas o ser humano tem muitos acertos também. Acredito que a vacina vá sair em breve. Quem vai salvar a gente disso, somos nós mesmos. Meu grande medo é o que pode vir pela frente depois outros vírus mais graves.

Dificuldade para criar durante a quarentena.

Plinio Scambora - Criar nessa quarentena tem sido mais difícil. Apesar de ter mais tempo, mais ócio, existem coisas que têm atrapalhado. O desgaste do dia a dia, a convivência com as mesmas pessoas. Isso tudo nos afeta. No meu caso tentei reverter mudando alguns hábitos e fazendo coisas diferentes. Eu me propus a escrever essa série mergulhando. O mais difícil foi o dia a dia. Achei mais difícil, mas ao mesmo tempo tive mais ideias. Então é meio louco. Acho que nessa pandemia as pessoas ficaram muito sedentas de conteúdo. Marcelo Adnetacompanhei mais. Vi que fez muitas coisas bem legais. Achei bem engraçado.

'Quem conseguiu produzir nessa pandemia, fez um bem geral para todos. Estou vendo isso na repercussão da 22. Nossa, salvou minha quarentena. Obrigado. Então as pessoas estavam sedentas por conteúdo', disse Plinio.


Filme Amiga do Inimigo, com Viih Tube, e o fenômeno dos influenciadores

Plinio Scambora - Foi meu primeiro longa. Tenho muito orgulho de ter dirigido esse filme. Eu entendo bem a Viih Tube. A gente sempre trabalhou com bastante harmonia. Sobre esse fenômeno de influenciadores, acho que as pessoas querem cada vez mais estar conectadas com seus ídolos. E se identificar com eles. O público da Viih Tube a acompanha a cada passo. É bem fácil entender esse fenômeno. E por que tanta gente comprou ou alugou o filme. Eles se sentem partes daquilo. Eles se sentem pertencentes às conquistas dela. Há um distanciamento em estreias de filmes normais, vamos dizer assim. Com influenciadores, é como se os fãs também estivessem fazendo. Esse fenômeno é o pertencimento. Os fãs se sentem parte.

'Os fãs se sentem donos dos youtubers. Eu conversei muito com a Viih Tube, como vai fazer a transição da carreira dela, do teen para o adulto mais adulto. O que sinto é isso, esse pertencimento dos fãs', comentou Scambora.


Como vai ser o Brasil no Oscar 2021?

Plinio Scambora - É uma pena que o filme Bacurau (Kleber Mendonça Filho) não possa concorrer na categoria Melhor Filme Estrangeiro no Oscar 2021. Acredito que possa concorrer em outras categorias. Minha torcida é essa. É por Bacurau. Acredito que pode repetir o que Cidade de Deusfez. Mas palpite não tenho, não. Passa pela nossa Secretaria de Cultura, então é uma loteria. Não sabemos qual filme seria o representante.

Quais filmes ainda quer fazer? Quais histórias quer contar nos cinemas?

Plinio Scambora - Não tem uma história exatamente. Quero contar várias histórias. Mas se tem algo que me toca muito, são histórias simples. Acho que a história que toca mais fundo é quando você se vê naquele personagem. Ratatouille (animação de 2007), por exemplo. O sonho de um rato de ser cozinheiro. É bem simples. E é fantástico, eu me emociono com esse filme. É por isso que escrevo. Para tocar as pessoas de alguma forma (...) Minha inspiração vem dos filmes que vi na minha infância. Filmes maravilhosos dos anos 80. Passavam na Sessão da Tarde.

Curiosidade que ninguém sabia sobre os filmes de Plinio Scambora.

Plinio Scambora - Acho que é a fórmula que a gente criou para criar projetos de grande qualidade, em pouco tempo e com pouca gente. O filme da Viih Tube, por exemplo, teve custo de orçamento muito baixo. Foi rodado com 14 pessoas no set. Filme rodado em 7 dias. É muito difícil. Isso não existe. Faço um paralelo com filmes de outros youtubers, como Luccas Neto. São filmados no mínimo com 40 pessoas. Com orçamento maior. Então atingimos qualidade muito similar com uma equipe super reduzida e tempo recorde. Essa é a maior curiosidade desse tipo de trabalho. O resto é muita ralação, muita correria. Mas é muito divertido. Eu amo fazer o que eu faço.

Desejamos muito sucesso ao Plinio. Muitos filmes pela frente! Estaremos sempre na torcida e assistindo.

Compartilhe com um amigo!
Comentários