CelebridadesColuna SocialFilmesPais e FilhosBicho Animal
Divulgação

Eduardo Sterblitch fala sobre depressão em entrevista

Falamos com o comediante com exclusividade antes de show no interior de São Paulo

Silas Pereira, publicado em 23/07/2009.
O espetáculo humorístico 'Deznecessários' chegou pela primeira vez a São José dos Camposnos dias 1 e 2 de agosto. Um dos destaques da peça é o comediante Eduardo Sterblitch (Cesar Polvilho), que interpretou o personagem César Polvilho, no programa Pânico. Por telefone, Eduardo nos concedeu uma entrevista exclusiva, mesmo confessando que não gosta de falar com a imprensa: 'Não sei o que tenho pra falar em entrevistas, sabe? Mas sei que é bem importante também, então vamos lá'. No bate-papo o humorista entrou no tema depressão.
Humorista em São JoséFoto: Divulgação
Conheça César Polvilho, Fred Mercury Prateado, ... o jovem humorista Eduardo Sterblitch que, aos 22 anos de idade, já diverte os brasileiros na TV, no rádio e no teatro.

Conhece São José dos Campos?

Eduardo Sterblitch - Sim, fui pra São José dos Campos quando era muito pequeno. Fui aí pra comprar um jogo pirata de Nintendo. Na verdade, eu fui comprar o jogo em Aparecida, aí depois passamos num shopping de São José dos Campos pra almoçar.

Você está com 22 anos. Trabalha na TV e no rádio (Programa Pânico) e no teatro (Deznecessários). Já se sente pressionado com tantos compromissos e responsabilidades?

Eduardo Sterblitch - Quem mais me pressiona sou eu, mesmo. E pela idade... o Michael Jacksontinha 21 anos e fazia Thriller. O Macaulay Culkin, a Drew Barrymore, enfim, esses são feras. Eu estou bem tranquilo. É claro que, às vezes, você fica meio maluco, muito compromisso, mas não me atrapalha em nada, não. Estou levando na boa.

Eduardo participa do espetáculo Deznecessários, que chega a São José em agostoFoto: Divulgação


Como surgiu o personagem César Polvilho?
Recado aos fãsFoto: Divulgação
Eduardo Sterblitch - Foi acontecendo. Quando comecei a fazer o César Polvilho, ele era mais sério. Era um cara sério, mal humorado. Depois ele foi mudando, ficando mais bobo. Eu fazia os Deznecessários no teatro, aí teve uma festa comemorativa e o Pânico na TV foi convidado. O Emílio (Emílio Surita), e todo mundo do programa estava lá. E a gente já tinha feito uma participação no programa, o cinegrafista da Rede TV tinha gostado de mim, então foi acontecendo. As pessoas falando bem de mim, lá dentro do Pânico, e depois o Emílio me fez o convite para integrar a equipe.

Na área de humor, quais são as suas influências?

Eduardo Sterblitch - Eu nem gosto de falar muito sobre isso, porque parece pretensioso, mas a verdade é que tudo que eu li, não tem nada a ver com o que eu faço. É completamente diferente. Mas, enfim, eu já trabalhei com drama, trabalhei muito tempo com coisas que não tinham nada a ver com humor, e nessa área eu fui experimentando, mudando e vendo o retorno que ia dando.

Teatro, rádio e TV: em qual dos veículos você se sente mais realizado?

Eduardo Sterblitch - Prefiro trabalhar, não importa onde. Qualquer trabalho é muito digno. E é difícil falar sobre esse negócio de artista, porque tem gente que não sabe diferenciar as coisas. Tem gente que te engrandece porque você é artista. Eu falo, 'cara, sem lixeiro a gente pisa debaixo de merda. Sem artista não tem diferença'. Entendeu? Tem que saber a importância de cada um. E a verdade é que eu dou sorte de fazer uma coisa que me diverte.

E a internet? Gosta de Twitter, Blogs, Sites?

Eduardo Sterblitch - Eu gosto. Mas não é sempre que tenho tempo. Eu falo com os ouvintes pelo Twitter do Pânico, gosto de ler algumas coisas, mas quando eu era moleque eu tinha mais tempo. Hoje já é mais corrido.

Sobre vida pessoal, fale um pouco sobre como é a sua rotina.

Eduardo Sterblitch - Sou um cara bem tranquilo, bem na minha. Até meio deprimido, às vezes. Sabe aquela de querer ficar de boa? Mas a vida é assim, todos somos iguais e a minha não poderia ser diferente. Muitos pensam que o humorista tem que fazer rir toda hora. Não é assim, não.

Pedido do Polvilho

Deixe um convite ao joseense ir ao teatro.

Eduardo Sterblitch - Eu convido todo mundo, de coração mesmo, tenho certeza que vão gostar; quem não gostar, que queimem no inferno (risos). Ah, e se tiver algum bichinho de pelúcia, calça jeans 40 ou lasanha congelada eu estou precisando muito. É sério. Anota aí: bichinho de pelúcia, calça jeans 40 ou lasanha congelada. Quem puder levar lá no teatro eu agradeço. Até porque, agora eu estou namorando, então preciso dessas coisas.

Fotos: Blog Pânico na TV e Blog do Polvilho

Eduardo Sterblitch: depressão


Em maio de 2020, em entrevista ao Encontro com Fátima Bernardes, Eduardo Sterblitch, já com 33 anos de idade, deu mais detalhes sobre como lidar com a depressão. Nos últimos anos ele se consulta com uma analista. E está muito bem com a saúde mental.

'Já tive crises sérias. Já deixei de trabalhar por depressão, claro. A depressão é um estágio de vida perigoso (...) Minha analista diz para eu fazer isso, jogar pra outro lugar, para que eu não fique refém', declarou em entrevista na televisão.


O comediante é dos famosos com a coragem necessária para admitir suas fraquezas e problemas, como o caso destacado acima.

Compartilhe com um amigo!
Comentários